Como desenvolver a inteligência emocional nas crianças?

Ensinar os filhos a reconhecer e expressar emoções os torna mais seguros.

Um dos papéis das mães e pais é ajudar os filhos a desenvolver inteligência, oferecendo os suporte e incentivos que forem necessários. Até aqui, tudo certo. Porém, o que pode passar batido é que, além do aspecto acadêmico, também é importante criar condições para que a criança desenvolva a inteligência emocional. 

Afinal, o que é inteligência emocional?

A inteligência emocional é definida como a capacidade de uma pessoa de expressar e gerenciar os sentimentos de maneira adequada, respeitando os sentimentos dos outros. É um conjunto de habilidades que as crianças podem começar a aprender em qualquer idade – quanto mais cedo, melhor.

Todas as crianças têm a capacidade de serem emocionalmente inteligentes, só é preciso de adultos que os ensinem como. Por isso, é importante estar atento não somente ao comportamento e reações do filho, mas também (e principalmente) como você se comporta diante das situações.

Quais os benefícios de desenvolver a inteligência emocional?

Aprendizagens como essas refletem no cotidiano das crianças e têm um impacto muito positivo na relação consigo mesmas e com o mundo, o que contribui para uma formação humana integral. A coordenadora de Educação Infantil do Colégio Marista Arquidiocesano, Márcia Soyoko Nanaka, lembra que se costuma enfatizar mais as aprendizagens sociais do que as emocionais, sendo que ambas são essenciais.

Ajudar as crianças a desenvolver a inteligência emocional é mais fácil do que parece. Um primeiro passo pode ser incluir no cotidiano, momentos que incentivem as crianças a falarem sobre si ou sobre o que sentem. 

“Não há emoção ruim, mas comportamentos em relação a ela que podem ser ruins. É importante não desviar o foco do que se sente e expressar emoções e sentimentos”, conclui Márcia.

Veja cinco formas de incluir a inteligência emocional no cotidiano dos filhos:

  1. Identifique as emoções do seu filho

As crianças precisam aprender a reconhecer o que estão sentindo. Você pode ajudar dando um nome às emoções. Quando seu filho está chateado porque perdeu um jogo, por exemplo, você pode dizer: “Parece que você está com raiva agora. É isso?”

Palavras como “zangado”, “chateado” e “tímido” podem construir um vocabulário para expressar sentimentos. Não se esqueça de compartilhar as palavras para emoções positivas também, como “alegre”, “animado”, “emocionado” e “esperançoso”.

  1. Mostre empatia

Quando seu filho está chateado, valide os seus sentimentos e mostre empatia. Ao perceber que você entende como ele está se sentindo, em vez de gritar e chorar para mostrar que está com raiva, começará a aprender a demonstrar as emoções de forma mais adequada porque sabe que terá o seu apoio.

  1. Mostre maneiras adequadas de expressar sentimentos

A melhor maneira de ensinar seu filho a expressar sentimentos é melhorando essas habilidades em você mesmo. Fale sobre sentimentos no cotidiano, como “fico feliz quando recebemos amigos para jantar”. Estudos mostram que pais emocionalmente inteligentes têm maior probabilidade de ter filhos com esse aspecto mais desenvolvido. 

  1. Ensine como lidar com as emoções

Depois que as crianças entendem suas emoções, precisam aprender a lidar com elas de maneira saudável. Saber como se acalmar, se animar ou enfrentar seus medos pode ser complicado para os pequenos. Você pode, por exemplo, ensinar o seu filho a respirar fundo algumas vezes quando está com raiva para acalmar o corpo. Um livro para colorir e música suave também podem ajudar.

  1. Desenvolva habilidades de resolução de problemas

Parte da construção da inteligência emocional envolve aprender como resolver problemas. As soluções para qualquer situação de conflito não precisam ser ideias mirabolantes. Depois de identificarem pelo menos cinco soluções possíveis, ajude-os a avaliar os prós e os contras de cada uma. Em seguida, incentive-os a escolher a melhor opção.

  1. Faça da inteligência emocional uma meta de longo prazo

Quando seu filho for pequeno, fale sobre sentimentos todos os dias. Conte sobre as emoções que os personagens de livros ou filmes podem estar sentindo. Debata as melhores maneiras pelas quais os problemas poderiam ter sido resolvidos ou as estratégias que os personagens poderiam usar para tratar os outros com respeito. À medida que seu filho cresce, converse sobre situações da vida real – sejam coisas que eles estão encontrando em sua vida diária ou se é um problema que você está vendo no noticiário.

Fonte: maristalab.com.br

Compartilhe com seus amigos!