Bioma mais desmatados no Brasil

Bioma mais ameaçado do Brasil, Mata Atlântica vive alta do desmatamento – Análise da SOS Mata Atlântica aponta aumento de quase 30% na devastação entre 2018 e 2019, após tendência de queda nos últimos anos. Para ONG, governo Bolsonaro ameaça o que sobrou da cobertura original do bioma.O ritmo de destruição da Mata Atlântica voltou a subir após ter sido registrada a menor taxa de desmatamento das últimas três décadas. Entre 2018 e 2019, o bioma perdeu 145 quilômetros quadrados, um aumento de quase 30% em comparação com o período anterior, segundo levantamento divulgado pela Fundação SOS Mata Atlântica nesta terça-feira (27/05). Os números de desmatamento do bioma vinham caindo desde 2016, e entre 2017 e 2018, 113 quilômetros quadrados foram devastados, a menor área registrada desde 1985, quando começaram os registros da SOS Mata Atlântica.

O bioma é considerado o mais ameaçado do país. De sua área original de 1,3 milhão de quilômetros quadrados, espalhados por 17 estados e que cobria grande parte da costa, restam apenas 12%. O levantamento foi divulgado na data em que se celebra o dia nacional da Mata Atlântica. O decreto de 1999 que instituiu a comemoração é uma referência à Carta de São Vicente de 1560, documento assinado pelo padre José de Anchieta que detalhou, pela primeira vez, a biodiversidade dessa floresta. O monitoramento, feito há 30 anos pela Fundação SOS Mata Atlântica com dados de satélites do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe), aponta que os estados de Minas Gerais, Bahia e Paraná têm as maiores áreas de destruição florestal. Embora as equipes que participam do levantamento não tenham visitado as regiões mais afetadas devido às medidas de isolamento social para conter a pandemia do novo coronavírus, as motivações para o desmatamento são conhecidas. Em 2019, o desmatamento em todo o Brasil resultou na perda de 12 mil quilômetros quadrados de vegetação nativa. A maior destruição, com mais de 60% do total, foi na Amazônia. O Cerrado vem em segundo lugar. Em área desmatada, o número um do ranking é o Pará (299 mil hectares), seguido por Mato Grosso (202 mil ha) e Amazonas (126 mil ha). O relatório conclui ainda que 99% dos alertas de desmatamento detectados em 2019 são ilegais. As irregularidades vão desde desmatamento em áreas protegidas à falta de autorização para retirada da vegetação.

Fonte: noticias.uol.com.br

Compartilhe com seus amigos!