Queimadas no pantanal

Pantanal é um bioma conhecido por ter a maior área úmida do mundo. É a maior planície alagada do planeta.

A região foi considerada pela Unesco como Patrimônio Natural Mundial e Reserva da Biosfera.

Ocupa a área média de 150.355 km², segundo dados do IBGE, o que equivale a 1,76% do território brasileiro. Desta área, apenas 4,6% é protegida em razão das unidades de conservação.

Localização

Este bioma é encontrado em três países:

  • Bolívia
  • Brasil
  • Paraguai

No Brasil, 35% dele pode ser encontrado no Mato Grosso e 65% no Mato Grosso do Sul.

Foi considerado, até 2018, o bioma mais preservado do país.

Importância do Pantanal

Sua grande biodiversidade abrange cerca de:

  • 2 mil espécies de plantas
  • 582 espécies de aves
  • 41 espécies de anfíbios
  • 113 espécies de répteis
  • 132 espécies de mamíferos

Nele, encontramos diversas comunidades tradicionais, importantes para formação e manutenção da cultura local e nacional, como:

  • Indígenas
  • Quilombolas
  • Coletores de iscas
  • Amolar
  • Paraguai Mirim

E está relacionado diretamente com os biomas brasileiros:

  • Amazônia
  • Cerrado
  • Mata Atlântica

Sobre as recentes queimadas no Pantanal

Área devastada

Até dia 10 de outubro de 2020, foram identificados 20.926 focos de incêndio no Pantanal, desde janeiro. Estes iniciaram por volta do dia 21 de julho do mesmo ano.

Estima-se que, em 2020, mais de 4 milhões de hectares do Pantanal foram afetados pelas queimadas. O que equivale a mais de 26,23% do bioma, que possui 15.692.200 hectares do Brasil.

Segundo o LASA (Laboratório de Aplicações de Satélites Ambientais) da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), 2.215.000 hectares foram no Mato Grosso e 1.902.000, no Mato Grosso do Sul.

Cada hectare corresponde, mais ou menos, a área de um campo de futebol oficial! 

Relação com os outros anos

2020 foi considerado o pior ano em relação às queimadas no Pantanal. Foi o ano em que detectou-se o maior número de focos de incêndio desde 1998.

Nunca se queimou tanto e por tanto tempo!

Este era o bioma mais preservado do Brasil até 2018, com cerca de 1,6% da área prejudicada. Porém, só em 2020, mais de 26,23% do Pantanal foi queimado.

Neste ano, Segundo o Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe), só em 2020 as queimadas no Pantanal brasileiro aumentaram 210%, em relação a 2019.

Além disso, já foram detectados cerca de 20.550 pontos de calor e, dentre eles, 2.291 somente nos primeiros 13 dias de outubro.

Antes disso o maior número de focos registrados foi de 12.536, em 2005. Ou seja, 63,92% a menos que 2020.

Causas das queimadas no Pantanal

Vários são os fatores que contribuíram para que o ocorrido tomasse proporções devastadoras, como por exemplo:

  • O principal rio do Pantanal, neste ano, demonstrou o menor nível de água em quase cinco décadas;
  • Secas;
  • Aumento do desmatamento;
  • Diminuição da fiscalização por parte do poder público;
  • Desmatamento de outros biomas
  • Crescimento do agronegócio
Desmatamento de outros biomas

O Pantanal está intimamente relacionado a outros biomas. Principalmente a Amazônia e o Cerrado.

A Amazônia é uma das grandes responsáveis por trazer chuva ao Pantanal.

Ao ser desmatada, os períodos de chuva em outras áreas do país, inclusive no Pantanal, se encurtam e as secas são acentuadas.

Já o Cerrado é fonte das nascentes dos rios que cortam o Pantanal.

O desmatamento daquele bioma permite a poluição das águas com sedimentos e, por consequência, o assoreamento do Pantanal.

Diversos motivos foram apontados como causadores das queimadas no Pantanal.

Porém, o principal, identificado pelos especialistas, foram as causas humanas (criminosas ou acidentais).

Por mais seco que esteja o clima no Pantanal, é preciso fogo para que as queimadas se iniciem.

Consequência das queimadas

As principais consequências das queimadas no Pantanal, são:

  • Perda da biodiversidade
  • Desequilíbrio do ecossistema
  • Empobrecimento dos solos
  • Alteração no regime de chuvas e rios
  • Aumento da emissão dos gases do efeito estufa
  • Contribuição com o aquecimento global
  • Provocam doenças respiratórias nos humanos

O maior impacto das queimadas é a perda da biodiversidade. Tendo em vista que a região é riquíssima em fauna e flora.

Os danos são causados pelo fogo e pelos impactos por ele causados e, atingem a vegetação, os animais, a população exposta e a economia.

Danos socioeconômicos

A devastação prejudica o turismo ambiental, tendo em vista que o Pantanal é visitado pelo mundo inteiro, por possuir vasta biodiversidade.

A pesca, como meio de subsistência de espécies específicas da região, também foi prejudicada pelo fogo. Pois, a liberação de gases prejudica a qualidade da água.

As regiões que abrigam o Pantanal, foram encobertas por cinzas, o que pode acarretar problemas respiratórios graves.

Danos Ambientais

Se os danos socioeconômicos já são enormes, os ambientais são inimagináveis.

Especialistas estimam que, a depender da intensidade do incêndio, a regeneração do Pantanal pode levar mais de 50 anos.

As áreas que passam por incêndios severos ou frequentes, perdem a sua fertilidade, na estrutura da sua vegetação, que servem de habitat para diversas espécies.

O fogo destrói as Áreas de Preservação Permanente, incluindo, por exemplo, nascentes e beiras de rios, o que prejudica o curso natural das águas.

Animais

Como tratamos anteriormente, além do dano à flora, os animais são extremamente afetados direta e indiretamente pelas queimadas.

Recuperação

O processo de regeneração do solo, a depender da quantidade e intensidade dos incêndios, pode ser “rápido”.

O que preocupa os especialistas, é a preservação da fauna e sua manutenção.

Como proteger espécies que estão expostas ao fogo, à possível futura escassez ou secas, à mudança na dinâmica do bioma dentre outras questões.

Fonte:  iusnatura.com.br

Compartilhe com seus amigos!